2019 Marrocos (dia 4)

Estavamos a começar o dia 4 em Marrocos (domingo). Depois de tudo pronto, saímos do parque de campismo internacional de Fez rumo a Marraquexe. Era ambicioso, pois nesta zona interior de Marrocos, não há autoestradas e os Kms eram muitos…

A autocaravana que nos acompanhava tinha o limite de no 5.º dia ter que estar em Marraquexe para poder regressar a tempo do limite estabelecido. Portanto seria ótimo chegar a Marraquexe. Mas pelo caminho as coisas não seguiram este rumo e acabamos por ter que ficar em Beni Mellal… Coisas de autocaravanistas que quase sempre acontecem e não é uma coisa má! Antes pelo contrário!

14/4/2019 Parque de campismo de Fez – Beni Mellal Parque Supermercado Acima

Parque de Campismo de Fez – Parque de estacionamento Acima em Beni Mellal

Começamos a dirigir-nos para sul e entramos na estrada N8. Não tínhamos nenhum plano de parar nem visitar nada de especial neste dia. Tendo já saído tarde, começamos por subir a cordilheira do Atlas em direção a Ifrane. Já tinha lido sobre esta povoação, que estava classificada como a Suiça de Marrocos, mas não tinha dado muita atenção. Depois de subir e passar por fantásticas paisagens, lá chegamos a Ifrane. De facto verificamos que dentro de Marrocos parece outro pais. Não paramos mas apreciamos a passagem: pareceu-me ser uma instância de montanha da classe alta, pois tudo era muito limpo, organizado e muito bonito. Chalés de montanha em madeira tipo construção suiça, com telhados adequados para a neve, pois estamos a mais de 1.600m de altura e no inverno neva. É aqui que existe também uma instância de ski. Também tem campos de golf. O leão é o simbolo desta terra, pois antes eles habitavam estas terras.

Para algumas curiosidades de luxo sobre Iframe deixo aqui um testemunho de uma visitante profissional de reportagens:

Ifrane – A Suiça de Marrocos

Não paramos pois estávamos atrasados e decidimos continuar a viagem descendo a montanha, continuando com paisagens lindas e verdes com vegetação única. Esta zona tem vários parques naturais protegidos e um deles é o parque de cedros. Também não estava previsto visitar, mas depois de uma paragem num miradouro na berma da estrada, com barraquinhas a venderem todo o tipo de pedras, fósseis e artesanato da região (e que mais uma vez nos fez perder bastante tempo, pois estava a viajar com 4 mulheres), um dos vendedores com quem falei disse-me logo que tínhamos que ir pois as crianças iam adorar: havia lá macacos! Temos que ir!

Nesta paragem deu para começar a perceber que as pessoas desta zona ainda são mais pobres mas simpáticas, verdadeiras e genuínas. Quando viram que eramos uma familia com crianças, queriam conversar connosco e logo disseram que também tinham filhos: perguntavam se não tínhamos nada que pudéssemos trocar de roupas e calçado. Não íamos propriamente preparados para esta situação, mas numa autocaravana temos sempre algumas peças de roupa a mais pelo que achamos que deveríamos ajudar e lá arranjamos algo para dar. Em troca, e sem que pedíssemos nada, deram umas lembranças às minhas filhas do que tinham lá à venda. Também compramos algumas lembranças desta zona, como fosseis e pedras que só aqui se encontram para decoração. Lá fomos para o parque dos cedros mas, ainda não sabiamos muito bem o que nos esperava!

No corte para a estrada que nos levaria ao parque do cedros, muitas crianças a vender saquinhos de amendoim para os macacos. Estávamos a chegar! Lentamente começamos a entrar numa floresta de cedros diferente e única para nós. Árvores majestosas de enorme calibre e que nunca tinha visto ao vivo.

Entrada do parque de cedros do Atlas

Estacionamos para preparar o almoço. Enquanto isso as crianças já estavam histéricas, pois os macacos já andavam à nossa volta e numa quantidade impressionante. As miúdas adoraram a interação com macacos em liberdade. Foi uma experiência fantástica!

De repente um dos macacos estava a tentar entrar na nossa autocaravana pelas claraboias que estavam abertas. Tive que ir a correr fechá-las! Se calhar queria ir connosco para Portugal!

Mais alguma informação sobre este parque natural em:

https://www.visitar-marrocos.com/macacos-floresta/

Nesta paragem, ainda encontramos uns aventureiros portugueses que também pararam aqui para almoçarem e descansarem um pouco. Iam em direção ao deserto.

Depois de almoçarmos fomos dar uma pequena volta ao parque e apreciar os fantásticos cedros de grande porte e que eram fantásticos. No centro da entrada do parque existia um cedro que “morreu em pé” e que, de acordo com as informações existentes, era da época dos sultões, com muitas centenas de anos

Aliás todos os cedros eram enormes e devem ter centenas de anos. Faziam-me sentir pequenino. Árvores majestosas e que nunca tinha visto até agora em lado nenhum.

O parque dos cedros é um local onde se vai para fazer piqueniques. Tem mesas e bancos espalhados e pequenos restaurantes improvisados, que fazem as tagines no local e servem bebidas. Não vi muitos turistas estrangeiros. Praticamente eram turistas marroquinos que vimos. E claro algumas lojas com artesanato local, com madeira de cedro e pinhas de cedro que são enormes!

Resumindo é um local para interagir com os macacos em liberdades e ver ao vivo árvores de cedro com centenas de anos de existência e que fazem uma paisagem diferente.

Com tudo isto, acabaram por passar umas boas horas, e se o obetivo de chegar a Marraquexe já estava difícil, com esta paragem ficou impossível!

Voltamos à estrada e novamente à N8, que me iria ficar na memória pois passamos horas na estrada até chegar a Beni Mellal. Primeiro passamos por zonas rurais em que a estrada, apesar de estar em condições mínimas, tinha algumas curvas e atravessava por muitas pequenas povoações. Depois passamos por bastantes kms de estrada em que estava em obras de alargamento e melhoramento e em que apenas podíamos circular a muito baixa velocidade. Marrocos é um pais em forte expansão e muitas obras nas infraestruturas rodoviárias.

Tentamos andar o máximo neste dia até que, face ao tempo e às condições da estrada acabou per ser um dos dias mais cansativos, desistimos de chegar a Marraquexe. Chegamos a Beni Mallal e consultando na App Park4night, as opções não eram muitas e fomos para o parque junto do supermercado Acima (equivalente ao Auchan) e estacionamos para passar a noite.

Mais uma vez apanhamos hora de ponta em Beni Mellal. É incrível como a cidade ao inicio da noite é tão movimentada. Muitas pessoas na rua.

Como estávamos numa zona comercial, não faltaram opções para o jantar. Até MCDonalds havia! Acabamos por ir para um restaurante Mexicano para variar!

Depois de uma caminhada, lá fomos nós para as autocaravanas, para ter o merecido descanso, pois amanhã íamos para Marraquexe!

One thought on “2019 Marrocos (dia 4)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s